Instituto Holístico Verdor  


Bioenergética & Projeciologia

Formando  Terapeutas  e  Cuidadores  Holísticos

 
Transferindo conhecimento holístico para a expansão das consciências para transformar a Humanidade e o Planeta Terra!


INSANO, LOUCO, OU SIMPLESMENTE PURO?

 

Insano

Preciso descobrir o que foi que me abateu,
Ferveu todo o meu ser, mas como pode acontecer?
Mexeu com minha vida e pareço nem ser eu,
Rendeu reviravolta, e fez eu me perder.

Perder todo o meu norte e foi por pura sorte,
Que eu não vi a morte quando por mim passou.
Pensei que estava louco e foi por muito pouco,
Cheguei a ficar rouco, gritando que não sou.

Aconteceu comigo e eu custo acreditar
Toda minha experiência de nada adiantou,
Fui cair numa cilada que o destino armou.

Insanidade não, por que não sou insano,
Faltou-me o bom senso ou o que me faltou?
Será que foi engano que em mim se instalou?

Procuro uma resposta em que possa acreditar,
É muito mais que amar o que estou sentindo?
Confesso que não sei, tentar saber, tentei,
Pensar, eu já pensei, eu não estou mentindo.

Mas quando penso nela e lembro como é bela,
Todo meu sangue gela e ela eu quero ter.
Eu sinto o seu cheiro, de fevereiro a janeiro,
É isso o ano inteiro seu perfume dá prazer.

Eu sinto seu abraço que mais parece um laço,
Sinto o gosto de seu beijo e explode meu desejo,
e perco-me sem espaço que teima em me faltar.

Mais quase nada almejo a não ser, lhe tocar.
Corpos entrelaçados, totalmente colados,
Nossas peles molhadas de tanto transpirar.

Sua voz eu escuto mesmo que em absoluto,
Silencio qual de um luto, eu possa perceber.
As suas mãos fervendo, eu sinto em mim mexendo,
Prazer, quase sofrendo é o que eu quero ter.

Alucinadamente sentir que vou morrendo,
Sentir que estou perdendo, todos os meus sentidos,
Momento bem vivido é o que me faz falta,
Mas se não tiver volta, eu vou estar perdido.

Será que estou louco e para insano falta pouco?
Eu já me sinto morto de saudades pra lhe ter.
E na minha insanidade, sou louco em lhe querer?

Mas sei que é verdade não tenho falsidade,
Meu Deus como lhe amo, nisso eu não me engano,
Meu coração é humano e não agüenta mais sofrer.

Mas você não me quer, e se o mundo eu lhe der,
Será minha mulher, para o resto de meus dias?
Pergunta infeliz, Lourdes, você nunca me quis,
E por mais que eu fiz, só fiz por que lhe queria.

Bem, isso já não importa, por que agora Inês é morta,
Então eu fecho a porta desse meu coração?
Do meu amor não carece, não me quer mais, confesse.
Meu coração perece, nessa imensa solidão.

Estou sofrendo muito e não sei o que fazer,
Mesmo assim eu lhe pergunto, será que ainda luto?
Responda sem demora, pois preciso de você.

Por esse amor que reputo como amor verdadeiro e maduro?
Mas é melhor não ser criança e alimentar vã esperança,
O meu amor lhe cansa, sou insano, louco ou simplesmente puro?

Olho para a tela do monitor do micro,
E fico estarrecido ao ver sobre o teclado,
Meu corpo lá deitado como se estivesse dormindo,
Mas eu estou inerte e meu pulso está parado.

Será ela uma assassina ou será uma heroína?
Na sina desse amor não pode haver culpados!
Esse amor só é intenso se o coração é imenso
E um coração tão gigante, não pode ter parado.

Mas se não fosse esse amor como será que eu estaria?
Andava tão desmotivado, cabisbaixo e desanimado,
Só foi o amor aparecer e minha vida mudou.

De morto passei a vivo e a trabalhar para valer,
Transformando em vencedor, o fracassado de outrora,
Mas que sofre agora, por não ter o amor com que sempre sonhou.

Autor: Julio Lótus - Dezembro/2007

Envie esta página para um amigo
Permitida a reprodução em qualquer meio, desde que citada a fonte e mantidos integralmente todos os créditos

 

RESPONSABILIDADE SOCIAL
 
 
     
O conteúdo deste Site é de propriedade de Julio Roberto Lopes Santos (Julio Lótus) ou dos autores dos respectivos artigos aqui divulgados. Reprodução livre, desde que citada a fonte e a autoria.
© 2008 - 2010 Instituto Holístico Verdor - Todos os Direitos Reservados